Dois anos da JUPLP

O início de uma longa história


Há dois anos atrás acontecia a primeira reunião da JUPLP, que naquele dia em 2020, não tinha nem nome. A partir de uma ideia e vontade, toda história começou a se construir. Naquela primeira reunião, participaram apenas duas pessoas: eu e Lesmes Monteiro, uma peça importante para a política da Guiné Bissau.


O nosso objetivo a partir dali, foi reunir jovens que se interessasse pela proposta: criar um coletivo que representasse a juventude lusófona.


Muitos vieram nesse período de construção da base do movimento, que além de Lesmes, vários jovens se juntaram: Cleidir Dias, Bruno Mourinho, Navváb Aly Danso, Heliane Bucal, Paizinho Goia, Amedy das Neves, entre outros.


Em outubro daquele mesmo ano, especificamente no dia 3, anunciamos a Juventude Unida dos Países de Língua Portuguesa.


De lá pra cá grandes coisas aconteceram como de início: apresentação da cultura de vários países; live sobre política e juventude; entrevista para o Voice of América; apresentação de dados sobre o impacto da COVID-19 nos países lusófonos e processo de recrutamento de novos membros.


Com o início promissor e inovador, entendemos o nosso papel para os próximos meses que viriam. Dentro de uma cultura com fontes inesgotáveis de assunto, a JUPLP tem participado ativamente do debate da lusofonia e o papel do local da juventude.


Dos projetos realizados, destaco o Conexões, evento presencial que aconteceu em Coimbra, Cidade da Praia, Porto e Vigo. A integração da Galiza anunciada em fevereiro, que tivemos uma atitude única que uniu diversas pessoas em volta da língua. Por último, não menos importante, o curso Desenhando Negócios de Impacto, que ao lado da Verda, levamos um curso para 30 jovens da lusofonia que apresentando sobre empreendedorismo e inovação social.


Nosso objetivo além de fortalecer o intercâmbio cultural, fortalecimento da língua e empoderamento juvenil, é ser uma representação para mais de 48 milhões de jovens espalhado no mundo. É sabido o que processo é demorado, por isso o estudo e o trabalho para a formalização jurídica do movimento tem acontecido, para que a juventude tenha essa vitória nos próximos anos.

37 visualizações0 comentário