• Josianny Furtado

Quais são as fontes do GEE?

Atualizado: 4 de set.



Nesses últimos meses, um dos assuntos mais retratado nos telejornais e não só, são as mudanças no clima de vários países. Na China houve record de temperatura, várias regiões do país ultrapassaram os 40º, estando estes sobre alerta vermelho. Nos Estados Unidos da América um dos parques naturais mais importante do país, o Parque Yosemeti na Califórnia esteve em chamas por vários dias. O parque é famoso pelas suas sequoias gigantes, a maior árvore no mundo. Na fronteira entre Argentina e Chile centenas de pessoas ficaram detidas devido a um nevão.


Sequoias gigantes

Esses são alguns exemplos dos impactos negativos que as alterações climáticas causam no meio ambiente e consequentemente para o Homem.


Continuando do nosso último pequeno artigo, onde vimos o que é a alteração climática, o que são os gases de efeito estufa e qual a potencialidade que estes gases têm em contribuir para o aumento do efeito estufa. Hoje iremos falar das quais são as fontes/causas dos GEE.


Várias fontes antropogénicas contribuem para a emissão dos GEE. As duas fontes principais são a queima de combustíveis fósseis e o desmatamento de regiões tropicais como a Amazônia. A queima de combustíveis fósseis (gás natural, carvão mineral e, especialmente, petróleo) ocorre principalmente pelo setor de produção de energia, industrial e de transporte.


GEE: Fontes /Causas

CO2


O CO2 é o principal produto das reações de combustão ou queima, e consequentemente é o GEE emitido em maior quantidade para a atmosfera, onde já existe o CO2 de origem natural. As plantas e os oceanos constituem os principais sumidouros de CO2, o que impede que os níveis deste composto na atmosfera aumentem ainda mais. Sumidouros são depósitos naturais que absorvem e capturam o CO2 da atmosfera, reduzindo sua presença no ar.

No entanto, como os mecanismos de consumo de CO2 (por parte dos sumidouros) não são muito significativos quando comparados com a reserva atmosférica de CO2, uma molécula deste pode permanecer na atmosfera durante mais de um século. Por outro lado, estes mesmos mecanismos foram suficientes para manter a estabilidade na concentração de CO2 na atmosfera durante muitos séculos, até à Revolução Industrial.


CH4

Uma molécula de metano permanece na atmosfera durante menos de uma década. Porém, uma molécula deste composto absorve entre 20 á 25 vezes mais radiação infravermelha que uma molécula de CO2. O CH4, cuja concentração aumentou cerca de 145% nos últimos 200 anos, tem como principais fontes as explorações pecuárias, o cultivo de arroz, o tratamento de águas residuais, bem como o tratamento e a deposição de resíduos.


N2O

As principais fontes de óxido nitroso são: o sector industrial, os solos, a agricultura e os oceanos. De 1750 a 2005, as concentrações de N2O aumentaram de 270 para 319 ppb (partes por bilião, uma unidade de concentração).

Grande parte do N2O emitido para a atmosfera é convertido em monóxido (NO) e dióxido de azoto (NO2) que são precursores de ozono.

Mas o que são percussores de ozono? Como sabemos o ozono desempenha um papel vital para filtrar a radiação ultravioleta na estratosfera. No entanto na troposfera, o ozono é um poluente secundário resultante de reações fotoquímicas quando existem poluentes primários precursores como os óxidos de azoto (NOX). Assim, o aumento das emissões de N2O para a atmosfera implica o aumento da concentração de ozono, contribuindo para o incremento do efeito de estufa.

Apesar deste gás se encontrar em baixas concentrações na estratosfera, o seu GWP é elevado.


Camadas da atmosfera terrestre

Vapor de água

O vapor de água presente na atmosfera é responsável por dois terços do efeito de estufa natural (em dias de céu limpo). Apesar do fraco GWP associado a este gás, o facto de existir em grande quantidade na atmosfera, faz com que se torne um importante GEE. Com as temperaturas do planeta a aumentarem devido ao efeito de estufa potenciado pelas emissões antropogénicas de GEE, é expectável a evaporação de maior quantidade de água das superfícies aquosas, o que aumentará a concentração de vapor de água na atmosfera. Assim, o processo de aquecimento da Terra é potenciado.


Outros gases de estufa

A diminuição do uso clorofluorcarbonetos - CFC em favor da preservação da camada de ozono fez diminuir a concentração destes poluentes na atmosfera. No entanto, a necessidade de recorrer a substitutos levou ao aumento da concentração de outros gases na atmosfera, tais como os perfluorcarbonos PFC, hidrofluorcabonos HFC e hexafluoreto de enxofre SF6, com a particularidade de serem poderosos gases com efeito de estufa, com elevados tempos de vida na atmosfera e GWP.

As emissões destes compostos são resultado da combustão de combustíveis fósseis e evaporação de hidrocarbonetos variados.

O ozono também é um poluente.


Aerossóis

Os aerossóis são pequenas partículas, sólidas ou líquidas, que têm origem em fenómenos naturais, tais como a dispersão de poeiras por tempestades ou a atividade vulcânica, e em processos antropogénicos, tais como queima de combustíveis fósseis. Apesar de não serem GEE, são compostos importantes nos processos que conduzem às alterações da temperatura do planeta, uma vez que podem ser responsáveis por um efeito de arrefecimento na atmosfera, em determinadas regiões.

As atividades humanas ligadas à indústria, as atividades agrícolas, o desmatamento e o aumento do uso dos transportes são os principais responsáveis pela emissão desses gases.

O efeito estufa é um fenômeno natural essencial para manutenção da vida na Terra, já que mantém as temperaturas médias, evitando grandes amplitudes térmicas e o esfriamento extremo do planeta. Contudo, a intensificação dessas atividades contribui diretamente para o aumento desses gases na atmosfera, provocando impactos no meio ambiente e consequentemente para humanidade.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo